Farsa de Inês Pereira

Farsa de In s Pereira A seguinte farsa de folgar foi representada ao muito alto e mui poderoso rei D Jo o o terceiro do nome em Portugal no seu Convento de Tomar era do Senhor de O seu argumento que por quanto duv

  • Title: Farsa de Inês Pereira
  • Author: Gil Vicente
  • ISBN: null
  • Page: 237
  • Format: ebook
  • A seguinte farsa de folgar foi representada ao muito alto e mui poderoso rei D Jo o o terceiro do nome em Portugal, no seu Convento de Tomar, era do Senhor de 1523 O seu argumento , que por quanto duvidavam certos homens de bom saber se o autor fazia de si mesmo estas obras, ou se furtava de outros autores, lhe deram este tema sobre que fizesse, scilicet, um exemplo comA seguinte farsa de folgar foi representada ao muito alto e mui poderoso rei D Jo o o terceiro do nome em Portugal, no seu Convento de Tomar, era do Senhor de 1523 O seu argumento , que por quanto duvidavam certos homens de bom saber se o autor fazia de si mesmo estas obras, ou se furtava de outros autores, lhe deram este tema sobre que fizesse, scilicet, um exemplo comum que dizem, mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube E sobre este motivo se fez esta farsa.

    • Best Read [Gil Vicente] Ì Farsa de Inês Pereira || [Suspense Book] PDF ✓
      237 Gil Vicente
    • thumbnail Title: Best Read [Gil Vicente] Ì Farsa de Inês Pereira || [Suspense Book] PDF ✓
      Posted by:Gil Vicente
      Published :2018-02-15T18:29:02+00:00

    1 thought on “Farsa de Inês Pereira”

    1. This book has the intention to be funny, but it is nothing but dull and mean-spirited! It is even more of a disappointment because this was written by Gil Vicente, who wrote Auto da Barca do Inferno, which is a delight to read! Inês Pereira is really annoying, and although she changes and starts standing for her ground, she starts being the monster that Escudeiro was to someone that really loves her. If this choice was intended for criticism on the human condition, I would probably really enjoy [...]

    2. Na minha humilde opinião, esta peça não chega aos calcanhares do Auto da Barca do Inferno, mas também não é nada má.Lê-se rápido porque é pequenina, mas o que me valeram foram as notinhas de rodapé a explicar as expressões; se não fosse por isso, não tinha percebido pevas, apesar de até achar estes arcaísmos todos engraçados (quando os compreendo).A peça gira toda à volta do "Mais quero Asno (Pêro) que me (Inês) leve, que Cavalo (Escudeiro) que me (de novo, Inês) derrube".N [...]

    3. Uma leitura obrigatória para a escola. Posso dizer que este livro, contém informações mais interessantes do que o meu próprio livro de português, por isso acho que foi uma boa escolha, tendo em conta, que andava a vaguear pela biblioteca da minha escola à procura de um livro que me ajudasse a entender melhor esta obra de Mestre Gil. Amanhã tenho teste de Português (rogar e implorar a todos os deuses para que a minha escola faça greve, porque não quero mesmo adiar).Falando agora sobre [...]

    4. Fazendo jus ao ditado da época - "mais vale um asno que me leve, que um cavalo que me derrube" -, Gil Vicente apresenta-nos nesta Farsa uma das mais portuguesas comédias. Com uma protagonista feminina e dos seus casamentos, o autor destaca o quotidiano das gentes do seu tempo, criticando os costumes e vícios das diferentes classes sociais.

    5. Eh. Este auto de Gil Vicente não é nada comparado ao Auto da Barca do Inferno. A moral da história passou-me ao lado, pelo que tenho que assumir que isto foi escrito apenas por diversão. No entanto, Inês sabe sempre o que quer e torna-se mulher dela própria, o que deve ser valorizado devido ao facto de isto ter sido escrito em 1523. Mesmo assim, eh.

    6. Gostei, penso que Gil Vicente e o seu humor nunca desiludem apesar desta peça não ser tão boa quanto o Auto da Barca do Inferno. Visto que fui aluna da disciplina de Literatura fui obrigada, basicamente a ler obras como esta e tenho em consciência que se não fosse pela disciplina que nunca teria dado atenção a obras como esta nem tantas outras.

    7. Inês deseja se casar, mas com o homem perfeito. Sua mãe e dois rapazes judeus aparecem para dar os seus palpites. Então finalmente Inês se casa, com o homem sugerido pelos judeus. Mas esse casamento lhe trará felicidade? Ou teria sido melhor ouvir os conselhos da mãe?

    8. O lição extraído do livro não é muito profundo, e o livro não passa o teste Bechdel que diminui o efeito de haver Inês acaba por vencedora, mas é engraçadinho e composto bem.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *